Os Autores dos artigos aqui publicados estão devidamente identificados pelo editor.
31 de Julho de 2006

Número para reflectir em tempo de férias:


empregados municipais faltam


 em média um mês de trabalho


 


Cada empregado municipal falta, em média, um mês de trabalho por ano. O nível médio de absentismo para os 136,5 mil funcionários é de 22 dias úteis. O número é de um estudo da empresa de consultoria Deloitte, relativo à importância dos municípios no sector público e economia nacional, que toma o ano de 2002 como referência. O sumário executivo está publicado no site da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP).



O documento salienta o absentismo médio como um dos aspectos relevantes do emprego municipal, mas não descrimina as causas do fenómeno, que é visto na literatura como um problema de gestão de Recursos Humanos e de ambiente organizacional. A Deloitte considera ainda que "urge fomentar políticas de formação", já que 55% dos colaboradores municipais possui seis anos de escolaridade ou menos. Por outro lado, a idade média dos trabalhadores é superior a 40 anos e o período ao serviço do município é, em média, de 12 anos.



Para Fernando Ruas, presidente da ANMP, este estudo surge como uma forma de "acompanhar e controlar o posicionamento dos municípios no contexto nacional". É também, explica, uma forma de precaver "algum tipo de ataque menos fundamentado" relativamente à importância e papel das autarquias, além de ser "uma espécie de balanço social que convém aos municípios terem".



Quanto à taxa de absentismo apurada por este estudo da Deloitte, Fernando Ruas explica, que é um problema que "ultrapassa" os autarcas. Por outro lado, garante ainda o presidente da ANMP, esta é uma questão que "tem sido colocado à tutela" de forma recorrente. O fenómeno, e as normas por que se rege, terá de ser estudado, porque se trata, admite, de "um absentismo que é, de facto, elevado".



Usando como comparação o balanço social efectuado também com base no ano de 2002 pelo Ministério da Segurança Social e do Trabalho (MSST) - relativo ao universo de empresas com mais cem trabalhadores, verifica-se o absentismo no emprego municipal é 37,5% superior. Ou seja, cada trabalhador do sector municipal faltou, em média, mais seis dias úteis do que os funcionários destas empresas. A taxa de absentismo registada no Balanço Social de 2002 pelo MSST é 7,2%.

publicado por PS Seia às 12:44
Visite

ambientequalvida@blogs.sapo.pt
SAQV a 31 de Julho de 2006 às 12:50
Julho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
15
16
18
22
23
24
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
13 comentários
11 comentários
10 comentários
7 comentários
7 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Caros Amigos,Aproveito a oportunidade para desejar...
NÃO ADMIRA QUE O PSD ESTEJA NESTE ESTADO. VEJAM QU...
ESTES COMENTÁRIOS JÁ EESTÃO FORA DE MODA. O PRESI...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
Hoje no frente a frente da SIC Notícias tive opor...
Pior era não fazermos nada! E o PS ficará sempre ...
blogs SAPO