Os Autores dos artigos aqui publicados estão devidamente identificados pelo editor.
30 de Setembro de 2006


PS reafirma prioridades


em torno do emprego e acessibilidades




Trio_2.JPG 



Cerca de duas centenas de militantes e simpatizantes responderam ao apelo lançado pelo Partido Socialista de Seia, comparecendo num lanche convívio que ocorreu este sábado no Santuário da Santa Eufêmia, em São Martinho.


 


A reentré socialista contou com a presença dos deputados do PS eleitos pelo Círculo da Guarda, Joaquim Pina Moura e Fernando Cabral, que centraram os seus discursos no trabalho que o Governo tem vindo a desenvolver e nas perspectivas que se abrem para o futuro.


 


A iniciativa serviu para o PS reafirmar a sua determinação pela defesa intransigente dos interesses do Concelho, elegendo como grande prioridade as acessibilidades à Região da Serra da Estrela e a Seia em particular, concretamente através da construção dos Itinerários Complementares 6 (Seia - Torroselo - Coimbra), 7 (Vendas de Galizes - Celorico da Beira) e 37 (Seia-Nelas-Viseu), referiu na ocasião o Presidente Eduardo Brito.


 


O dirigente socialista voltou a frisar que existem fortes razões para continuar a confiar no futuro. Adiantou que o PS vai continuar a lançar novas iniciativas, nomeadamente ao nível do emprego, da habitação e da saúde e acção social, algumas das quais já anunciadas pela Governação Socialista do Município.


 


Tratou-se de uma jornada onde se reafirmou a defesa intransigente da Câmara e do Governo e a exigência em relação ao poder central na resolução dos grandes problemas que temos, especificamente o emprego e as acessibilidades, e que marcarão a agenda politica.

publicado por PS Seia às 19:21
29 de Setembro de 2006

Sócrates reforça liderança e popularidade


 


Cada vez mais próximo de atingir o clássico "ponto crítico" do meio do mandato - quando já passou há muito o "estado de graça" e falta também muito para o tempo das medidas populistas que se tornaram uma tradição pré-eleitoral -, não só bate todos os outros líderes partidários (22 pontos à frente de Marques Mendes), como vê o PS ter nas intenções de voto mais um ponto do que o resultado que lhe garantiu a maioria absoluta. Além disso, dando a sensação que tiveram umas "boas férias" (se não nas carteiras, ao menos na disposição), os portugueses mostram-se dispostos a "sorrir" perante a actuação de mais de três quartos dos ministros.



Parece que, pelo menos a curto prazo, terá tido pouco efeito a campanha do PCP contra a "política de direita" do Governo e a sua intenção de "destruir a segurança social pública"; a marcha com que o BE pretendeu denunciar a situação do desemprego; a denúncia do CDS de que o pacto da justiça foi o retomar do "Bloco Central dos interesses".



Os inquiridos voltam, uma vez mais, a contrariar o que sustentam opinion makers. Por exemplo, o pacto da justiça não beneficiou em nada o PSD - apesar de Marques Mendes ter recuperado oito pontos de notoriedade. Aquilo que parecia uma conquista para o líder da oposição permitiu, afinal, ao chefe do Governo afastar a discussão numa área sensível, transmitir a ideia de que afinal não seria tão arrogante como garante a sua fama e ainda brindar com uma amabilidade Cavaco Silva.


 


http://dn.sapo.pt/2006/09/29/tema/socrates_reforca_lideranca_e_popular.html


 

publicado por PS Seia às 09:07
27 de Setembro de 2006



Novidades na economia


 


O número que o Instituto Nacional de Estatística apresentou, para o 2.º semestre do ano, é de 0,9%. Manifesta um visível crescimento económico. No primeiro trimestre a economia já tinha crescido mais três décimas do que no trimestre anterior, mas agora, no segundo trimestre, o ritmo de crescimento acelerou para os 0,9%.


 


Este número tem um significado. O crescimento económico no segundo trimestre superou todas as expectativas e foi quase o triplo do que muitos previam.


 


Este valor significa que neste trimestre a economia portuguesa cresceu finalmente ao mesmo ritmo da média europeia. Há muito tempo que não acontecia uma coisa destas. Mas é verdade. Portugal cresceu neste trimestre ao mesmo nível da União Europeia. Isto diz muito sobre a aceleração do crescimento económico em Portugal.


 


Por outro lado, o crescimento de todo o primeiro semestre deste ano é um crescimento virtuoso, porque está a ser impulsionado pelo dinamismo das nossas exportações. Nos primeiros seis meses deste ano as nossas exportações cresceram 8,5 no 1º trimestre e 7,6% no segundo trimestre.


 


O Governo foi prudente e a verdade é que o aumento que se verifica nas exportações mostra que Portugal está, finalmente, a recuperar quota de mercado internacional depois de anos a fio a perder, isto é absolutamente decisivo para um crescimento económico sustentável.

publicado por PS Seia às 13:14
20 de Setembro de 2006

Novo Hospital pronto dentro de ano e meio


Primeira Pedra_2.JPG


Foi hoje lançada a primeira pedra do novo edifício do Hospital de Seia, numa cerimónia presidida pelo presidente da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), Fernando Regateiro, que deixou a garantia de que a obra estará concluída dentro de ano e meio.


 


Antes foi assinado o auto de consignação da obra à empresa Construtora San José S.A, num investimento superior a 6,283 milhões de euros, tendo como prazo de execução 540 dias. A empresa adiantou que a montagem do estaleiro será feita na próxima semana e que as obras vão iniciar-se de imediato.


 


O novo equipamento vai ser edificado nas traseiras do bloco mais antigo, composto por quatro pisos, onde serão reinstalados os serviços de urgência, internamentos de medicina e cirurgia, bloco operatório, imagiologia, patologia clínica, cozinha, refeitório e armazéns.


 


Este é mais um sinal que nos permite encarar o futuro com confiança, numa altura em que centramos o debate nas acessibilidades aos principais eixos rodoviários, através da construção do IC6 (Covilhã - Torroselo-Coimbra), IC 7 (Vendas de Galizes - Celorico da Beira) e IC 37 (Seia-Nelas-Viseu).

publicado por PS Seia às 20:00
18 de Setembro de 2006

Novos caminhos de investimento


 


A discussão do tema "O Quadro de Referência Estratégico Nacional: Horizonte

[Error: Irreparable invalid markup ('<st1:metricconverter [...] ">') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: center; mso-layout-grid-align: none" align="center"><b><span style="FONT-SIZE: 14pt; COLOR: blue; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Bold">Novos caminhos de investimento</span></b><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: blue; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Bold"><?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" /><o:p></o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman"><o:p> </o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman">A discussão do tema "O Quadro de Referência Estratégico Nacional: Horizonte <?xml:namespace prefix = st1 ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:smarttags" /><st1:metricconverter w:st="on" productid="2013"">2013"</st1:metricconverter>, onde participaram - sob a moderação de José Rio Fernandes, Cristina Azevedo (da CCDRN), o gestor João Nuno Mentes e o autarca Joaquim Morão, girou em torno da necessidade de se proceder a uma aplicação dos fundos europeus disponíveis nos próximos seis anos de forma rentável e impulsionadora de desenvolvimento nacional.<o:p></o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman"><o:p> </o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman">De um modo geral, os oradores sublinharam a importância de se fazerem apostas ousadas, trilhando novos caminhos, embora assumindo que nos sectores tradicionais de investimento ainda há muito a fazer também. O combate à exclusão territorial, bem como a coesão económica e social devem servir, defenderam, como critérios para a definição de uma estratégia de financiamento que permita conciliar justiça social e qualidade de vida com competitividade e produtividade.<o:p></o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman"><o:p> </o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman">Prosseguir com políticas de investimento que fomentem o emprego, incentivem a actividade das pequenas e médias empresas e impulsionem a qualificação nos recursos territoriais e humanos do país, no sentido da modernização, foi também um caminho apontado para a aplicação das verbas do QREN.<o:p></o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman"><o:p> </o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman"><o:p> </o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman">No painel dedicado à análise do tema "Emprego: Novas Oportunidades", o reitor da Universidade do Minho, Guimarães Rodrigues defendeu a criação de "regiões de conhecimento" mediante a aposta na cooperação institucional e a criação de infra-estruturas devidamente apetrechadas e distribuídas equitativamente pelo território nacional. <o:p></o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman"><o:p> </o:p></span></p><br /><p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-ALIGN: justify; mso-layout-grid-align: none"><span style="FONT-SIZE: 10pt; COLOR: #1a171b; FONT-FAMILY: Verdana; mso-bidi-font-family: NewsGothicBT-Roman">A aposta na investigação, inovação e nas telecomunicações, o apoio às empresas inovadoras, a internacionalização da actividade das nossas universidades, a oferta de formação mais diversificada e a requalificação do exercício profissional nos sectores tradicionais foram ideias discutidos, sob a moderação de Carlos Lage, aspectos partilhados pelo orador António Figueiredo, num debate em que também foi sublinhada a importância de favorecer parcerias entre entidades públicas e privadas.<o:p></o:p></span></p>
publicado por PS Seia às 09:40
15 de Setembro de 2006

PS/Seia visita ETAR de Seia e São Romão


P9131896b.JPG


Estão concluídas e em pleno funcionamento as Estações de Tratamento de esgotos de Seia e S. Romão, dois equipamentos que receberão mais de dois terços dos esgotos do concelho e que representam o culminar de uma obra ímpar e verdadeiramente transformadora, tendo em conta o cenário vivido há quatro anos, altura em que o executivo socialista elegeu esta área como prioritária.


 


Só a ETAR de Seia é responsável pelo tratamento dos esgotos domésticos e industriais das freguesias mais populosas do concelho: Seia, São Martinho, Santa Marinha, Pinhanços, Santa Comba e Santiago, estando ambas as ETARS dimensionadas para os próximos cinquenta anos e equipadas com tecnologia de ponta.


 


No sentido de marcar o arranque desta nova etapa, o Partido Socialista de Seia promoveu uma visita aos dois equipamentos, onde técnicos da empresa "Águas do Zêzere e Côa", explicaram a forma como se realiza todo o processo.


 


A ocasião serviu para o Presidente do Partido, Eduardo Brito, assinalar o trabalho notável que tem vindo a ser desenvolvido nesta área, antecedido da conclusão das redes primárias em 23 localidades do Concelho.


 


Concelho de Seia acima da média nacional


 


O Ministério do Ambiente publicou em 2004 um estudo sobre os índices de cobertura do saneamento básico em todo o país, onde o concelho de Seia se encontrava muito acima da média nacional. O estudo referia que 99,8 % da população residente no concelho é servida de abastecimento domiciliário de água e que 93,5 % usufrui de Sistemas de Drenagem de Águas Residuais. Quanto à população servida pelas Estações de Tratamento, os valores apurados em 2004 centram-se em 52,1 %. Com a conclusão das ETAR de Seia e São Romão, esta percentagem sobe agora para os 80%. 

publicado por PS Seia às 11:06
14 de Setembro de 2006

FMI revê em alta a economia portuguesa


 


A economia portuguesa deverá crescer 1,2% no corrente ano e 1,5% em 2007, de acordo com os dados divulgados na madrugada de hoje pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), revendo em alta de 0,4 pontos as projecções efectuadas na Primavera.



Com uma taxa anualizada de 3,6% no segundo trimestre, o FMI reviu em alta a expansão da economia da área euro em 2006, mas as estimativas para 2007 foram marginalmente revistas em baixa, com o Fundo a temer as consequências de um aumento de três pontos na taxa do IVA na Alemanha, a entrar em vigor já em Janeiro de 2007 e uma apreciação do euro frente ao dólar.



Na Zona Euro, a retoma deste ano é liderada pela procura interna, "particularmente o investimento", diz o relatório do Fundo. A economia foi dinamizada pela Alemanha, "com a ajuda do campeonato do Mundo de futebol" e pela França, com a actividade também a "permanecer robusta em Espanha".



Para o próximo ano, o FMI estima um crescimento de 2% para a zona euro, uma desaceleração face a 2006. Este Organismo, justificando esta retracção do produto, explica que aumento do IVA na maior economia da Europa poderá reduzir o consumo no princípio de 2007.

publicado por PS Seia às 12:01
13 de Setembro de 2006

Banco de Portugal


anuncia revisão em alta do PIB


 


O Banco de Portugal deverá rever em alta as estimativas para a economia em 2006, mas irá "aguardar prudentemente" por mais "informação" do desempenho da economia relativa a Agosto, um mês de habitual quebra de actividade, anunciou ontem Vítor Constâncio, no encontro anual com os bancos centrais dos PALOP que antecede a assembleia geral do FMI e Banco Mundial.



Na semana passada, o INE anunciou que a economia cresceu 1,2% no primeiro semestre - crescimento homólogo de 0,9% no segundo trimestre - graças ao desempenho das exportações. "É possível que a dinâmica do segundo trimestre venha a justificar uma nova revisão em alta das nossas previsões", afirmou o governador do Banco de Portugal. Em Junho, Vítor Constâncio já tinha revisto em alta - de 0,8% para 1,2% - o crescimento do PIB para este ano.



Para o governador, a redução da procura interna no segundo trimestre - estagnação do consumo das famílias; queda dos gastos das administrações públicas em termos reais e do investimento - "significa a concretização de um ajustamento inevitável", depois de anos de "crescimento assente no endividamento dos agentes económicos, incluindo o Estado".


 


Se o ajustamento da despesa interna pode conter o endividamento, deve, por outro lado, afirma Vítor Constâncio, "pressionar as empresas para se reestruturarem" e "orientar" as produções "para aos mercados externos".

publicado por PS Seia às 09:48
12 de Setembro de 2006

Governo recuperou credibilidade do país


 


A principal preocupação do Executivo, nestes primeiros 16 meses de actividade, passou pela "recuperação da credibilidade do país", quer em termos internos, quer externos, tendo esse objectivo sido plenamente alcançado.


 


Perante os portugueses, acabaram-se as trapalhadas e as confusões e, neste momento, o Governo de Portugal tem um rumo. A competitividade, inovação e qualificação, têm sido áreas prioritárias da agenda de modernização levada a cabo pelo Executivo.


 


O objectivo de mudar o padrão de especialização produtiva da economia é fundamental para termos um país moderno, competitivo, que inova e que se baseia na qualidade dos seus trabalhadores e quadros técnicos.


 


Somos muito criticados pela esquerda, mas nada propõem e só apresentam imobilismo porque, quando um dia se descobrir que o sistema público não tem condições para pagar as pensões de reforma, alguém há-de tomar conta disto. Nós não vivemos nessa ilusão e queremos tomar conta disso já.


 


Quanto à direita, a sua "agenda" passa por "canalizar as pessoas para os sistemas privados". Ao contrário, as políticas do Governo do PS visam garantir que o princípio básico da solidariedade entre gerações subsiste, graças à existência e modernização de um sistema público de Segurança Social.

publicado por PS Seia às 10:36
11 de Setembro de 2006

Partido Socialista continua na frente


PS_2.gif


Se as eleições legislativas fossem hoje, o PS voltaria a ser o partido mais votado, com 44,2 por cento das preferências, segundo o mais recente estudo da Eurosondagem, feito para a SIC, Expresso e Rádio Renascença


 




PS


44,2%


PSD


34,3%


CDU


7,1%


CDP/PP


5,0%


BE


5,9%


Outros


3,5%



No Barómetro da Eurosondagem, regista-se que as variações dos índices de popularidade de Cavaco Silva e de José Sócrates são mais ou menos idênticas. O saldo positivo do Presidente da República caiu um ponto percentual. Por sua vez, a nota do Primeiro-Ministro desceu sete décimas. Ambos continuam, no entanto, a ser os políticos que têm o melhor desempenho para a maioria dos portugueses.


 


Quem não está nada mal neste barómetro é o Governo. Apesar das medidas impopulares e dos incêndios, o seu saldo positivo aumentou quase seis pontos percentuais. Também o Parlamento, que esteve fechado para férias, parece estar definitivamente reconciliado com os portugueses. No último mês, a sua nota subiu mais de quatro pontos.

publicado por PS Seia às 09:37
Setembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
16
17
19
21
22
23
24
25
26
28
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
13 comentários
11 comentários
10 comentários
7 comentários
7 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Caros Amigos,Aproveito a oportunidade para desejar...
NÃO ADMIRA QUE O PSD ESTEJA NESTE ESTADO. VEJAM QU...
ESTES COMENTÁRIOS JÁ EESTÃO FORA DE MODA. O PRESI...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
Hoje no frente a frente da SIC Notícias tive opor...
Pior era não fazermos nada! E o PS ficará sempre ...
blogs SAPO