Os Autores dos artigos aqui publicados estão devidamente identificados pelo editor.
03 de Outubro de 2008

Oposição laranja sem alternativas


hesita entre silêncio e bota-abaixismo


 


PORTUGAL não esperava mais. A intervenção de Manuela Ferreira Leite na rentrée política laranja "correspondeu inteiramente às baixas expectativas existentes" e constitui "uma confissão velada de que o PSD não tem alternativas às políticas do Governo do PS".


 


"O PSD continua à espera de ouvir algumas ideias da sua líder, mas o país já nada espera da líder do PSD", sublinhou Vitalino Canas, para quem nada de novo foi avançado com o discurso da presidente do principal partido das oposição. "Se houve alguma surpresa foi o facto de Manuela Ferreira Leite não ter feito o mínimo esforço para apresentar uma alternativa ou uma simples medida para o país, mantendo uma linha de puro bota-abaixismo, que já vem do congresso que a elegeu como presidente do PSD", vincou o dirigente socialista, apontando de seguida que a ex-ministra das Finanças do Executivo de coligação de direita "continua sem ser capaz de assumir a responsabilidade por ter deixado o défice chegar aos 6,83% [em 2005] e de ter sido incapaz de fazer a reforma da Administração Pública". Segundo Vitalino Canas, a actuação de Manuela Ferreira Leite indicia que, "se eventualmente voltasse a ter responsabilidades políticas no país, não teria medidas ou sugestões diferentes daquelas que teve no passado".


 


Também o dirigente socialista e ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, criticou enfaticamente o "discurso bota-abaixo" de Ferreira Leite, sublinhando que este teve "graves erros, omissões e inverdades". Santos Silva lembrou ainda, em declarações à Imprensa, que a economia esteve em recessão em 2003, quando a actual líder do PSD era titular da pasta das Finanças.


 


 


O principal partido da oposição está a evidenciar, desta forma, "insegurança e zigue-zague ideológico, discursos sem esperança e sem ambição" que não interessam a Portugal. Temos, assim, a legitimidade política e a autoridade democrática para exigir, sobretudo ao PSD, ideias, propostas, a honra de compromissos assumidos e, acima de tudo, o fim da greve de braços caídos da líder do PSD, Manuela Ferreira Leite.


 

publicado por PS Seia às 17:16

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
24
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
13 comentários
11 comentários
10 comentários
7 comentários
7 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Caros Amigos,Aproveito a oportunidade para desejar...
NÃO ADMIRA QUE O PSD ESTEJA NESTE ESTADO. VEJAM QU...
ESTES COMENTÁRIOS JÁ EESTÃO FORA DE MODA. O PRESI...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
Hoje no frente a frente da SIC Notícias tive opor...
Pior era não fazermos nada! E o PS ficará sempre ...
blogs SAPO