Os Autores dos artigos aqui publicados estão devidamente identificados pelo editor.
06 de Junho de 2008

Entrevista do Presidente da Câmara


Eduardo Brito ao Acção Socialista


 


"É preciso dotar o concelho de bons acessos aos principais eixos rodoviários"


 


Quais as principais iniciativas que a câmara tem levado a cabo neste mandato?


A Câmara Municipal de Seia escolheu para este mandato quatro áreas prioritárias de intervenção: o emprego, o acesso a melhores cuidados de saúde, o combate às desigualdades sociais, principalmente na área da habitação, e as questões relacionadas com o ambiente.
Temos, por isso, concentrado a nossa acção nestas áreas, e podemos dizer, agora que estamos na recta final do mandato, que os resultados são francamente positivos.


 


Que projectos mais relevantes estão programados até ao final do mandato?
Até ao final do mandato vamos ainda construir dois modernos Centros Escolares, alargar a rede de equipamentos culturais, com destaque para o Museu Natural da Electricidade e continuar o esforço de recuperação de habitações pertencentes a famílias com baixos rendimentos económicos.


 


Como é que o município, do ponto de vista turístico, tem valorizado o seu património?
O município dispõe principalmente de um valiosíssimo património paisagístico. Estamos inseridos numa área de paisagem protegida, que é o Parque Natural da serra da Estrela e que é simultaneamente o ponto mais alto de Portugal. É em torno da valorização deste património, preservando-o e divulgando-o que estamos a desenvolver o nosso trabalho.
Neste aspecto queremos destacar o CISE - Centro de Interpretação da Serra da Estrela, moderno e inovador equipamento de carácter cientifico que assume um papel de liderança na defesa, promoção e divulgação dos valores e características de todo o património humano e natural que formam a Serra da Estrela.


 


A câmara lançou um roteiro turístico das Aldeias de Montanha em redor do maciço central da serra da Estrela. Qual o objectivo deste projecto?
O objectivo deste roteiro das Aldeias de Montanha é dar a conhecer uma parte da Serra da Estrela, que até ao momento não tem sido tão divulgada e que possui belezas naturais extraordinárias e pessoas de grande qualidade humana.


 


De que forma a autarquia, no âmbito das suas competências, tem procurado travar a desertificação e fixar a população mais jovem?
O combate à desertificação é uma luta que uma câmara não pode fazer sozinha, é preciso políticas governamentais que ajudem nessa tarefa. No entanto, estamos a criar condições para que surjam novas iniciativas empresariais. Possuímos um moderno parque empresarial e estamos a lançar um projecto de empreendedorismo jovem capaz de atrair novas iniciativas.


 


A câmara tem alguns projectos em carteira que possam beneficiar dos fundos comunitários, no âmbito do QREN?
A Câmara Municipal de Seia vai apresentar os seus projectos no âmbito da NUT da Serra da Estrela e possuímos um conjunto de projectos em vários sectores de actividade: ambiente, infra-estruturas, requalificação urbana e ambiental, entre outros, que estão estimados em cerca de 40 milhões de euros.


 


Como avalia a actuação do Governo no que respeita ao concelho de Seia?
Apesar de reconhecermos que o Governo liderado pelo eng. José Sócrates está a resolver alguns problemas importantes que preocupavam o concelho de Seia, com destaque para a saúde (o novo hospital está na recta final de construção), é preciso fazer mais. É preciso dotar o concelho de Seia de bons acessos aos principais eixos rodoviários. Só com estes acessos é possível vencer as dificuldades que atravessamos: emprego e desertificação.


 


O que mais o motiva na sua actividade de autarca?
O poder contactar com os problemas reais das pessoas, o poder executar uma política de proximidade com os cidadãos, que é isso que fortalece a democracia e a actividade política.


 


Qual a sua opinião sobre a Lei das Finanças Locais?
Embora reconheçamos que o rigor deve marcar a actividade autárquica, a actual Lei das Finanças Locais é muito penalizadora para os concelhos do interior do país. Devem, por isso, ser criadas novas condições legais que promovam a coesão territorial.


 

publicado por PS Seia às 12:31
Os dados estatísticos que chegam até nós indicam que as populações do concelho de Seia, apesar das grandes dificuldades, não são os de maior risco. O grande problema no concelho é o emprego. É preciso criar à força de muito trabalho e empenho mais e melhores empresas que tenham como objectivo a inovação.
Os jovens precisam de formação e qualificação. Mas também de atenção.
A coragem e valor dos responsáveis políticos tem de ser maior, nem que para isso tenham de trabalhar 18 horas por dia, para enfrentar com sucesso total um concelho ainda mais e melhor desenvolvido.
Eu acredito que o concelho de Seia tem condições para ser o melhor do País. Exige é muito trabalho, competência, experiência e vontade de vencer.
Saudações Socialistas
Do amigo de sempre
Assina: António Fernandes Pina.
antonio fernandes pina a 7 de Junho de 2008 às 02:33
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
22
23
24
25
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
13 comentários
11 comentários
10 comentários
7 comentários
7 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Caros Amigos,Aproveito a oportunidade para desejar...
NÃO ADMIRA QUE O PSD ESTEJA NESTE ESTADO. VEJAM QU...
ESTES COMENTÁRIOS JÁ EESTÃO FORA DE MODA. O PRESI...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
Hoje no frente a frente da SIC Notícias tive opor...
Pior era não fazermos nada! E o PS ficará sempre ...
blogs SAPO