Os Autores dos artigos aqui publicados estão devidamente identificados pelo editor.
16 de Janeiro de 2007

Agenda de Lisboa:


a inovação ao serviço das pessoas


 


A Agenda de Lisboa é uma agenda de progresso. Integra a competitividade num contexto humanista e de sustentabilidade ambiental. Não foi por acaso que foi aprovada num tempo em que a maioria dos governos europeus era de esquerda, nem é por acaso que tem estado desde aí no centro do debate político à escala europeia. A Europa política que queremos ou se constrói sobre a agenda de Lisboa ou sobre os seus escombros. A segunda hipótese significará o triunfo duma visão estritamente económica e liberal no projecto europeu.


 


Este é, por isso, um tempo de desafio. A Europa que queremos tem que ser competitiva sem jogar o jogo do desarmamento social nem da depredação ambiental. Em síntese, e isso é um adquirido do consenso europeu, tem que ser inovadora. Uma inovação total, que não seja apenas focalizada na investigação ou na produção, nas universidades e nos centros de excelência. Uma inovação que desça à rua, se dissemine e se integre no quotidiano dos europeus.


 


A inovação ambiental, social e económica, como base dum mercado europeu do conhecimento, é a resposta para ligar a inovação às pessoas e dar substância a um novo ciclo para a agenda de Lisboa. Ligar as pessoas à inovação é o grande desafio da esquerda moderna. Inovação nas formas de vida e de relacionamento multicultural. Inovação no consumo e na sustentabilidade. Inovação nas atitudes e na abertura ao saber. Inovação na tolerância e na aceitação da diferença.


 


O recente Congresso do Partido Socialista Europeu, realizado no Porto, abriu novas perspectivas de modernidade e de cooperação global da esquerda moderna. A Agenda de Lisboa é uma oportunidade de mudança e de transformação económica e social ao serviço dos cidadãos. De reforço do projecto europeu e de melhoria da qualidade vida das pessoas. De reconciliação dos eleitores com a política e da política com os valores e com as narrativas mobilizadoras.


 


Portugal, como país em que a Estratégia de Lisboa foi aprovada, está a implementar a sua agenda de forma credível e com resultados visíveis. Isso reforça a oportunidade de aqui ser dado um novo impulso à agenda europeia para a inovação e ao novo ciclo da Agenda de Lisboa, durante a Presidência portuguesa da UE no segundo semestre de 2007. Isso implica reflexão e debate. Façamo-lo pois de forma aberta e estimulante, porque o futuro passa por aqui.

publicado por PS Seia às 16:32

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
14
19
21
23
24
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
13 comentários
11 comentários
10 comentários
7 comentários
7 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Caros Amigos,Aproveito a oportunidade para desejar...
NÃO ADMIRA QUE O PSD ESTEJA NESTE ESTADO. VEJAM QU...
ESTES COMENTÁRIOS JÁ EESTÃO FORA DE MODA. O PRESI...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
O PARTIDO SOCIALISTA tem todas as condições para ...
Hoje no frente a frente da SIC Notícias tive opor...
Pior era não fazermos nada! E o PS ficará sempre ...
blogs SAPO